Preparamos um guia para você aprender como calcular o custo efetivo total e evitar sustos ao pedir um empréstimo

Finanças Abr 14, 2020

Você já parou para pensar na importância de saber como calcular o custo efetivo total de uma operação financeira? Pois saiba que esse é o tipo de conhecimento que pode lhe poupar algumas dores de cabeça.

Se ao avaliar as condições de um empréstimo ou financiamento, você só olha para a taxa de juros, sabia que está cometendo um grande erro. É preciso ter muita atenção no chamado CET, sigla para custo efetivo total.

O CET é a soma de todos os encargos e custos que incidem no valor total de uma negociação, muito além das taxas de juros. E, se agora você está se perguntando como calcular o CET, continue lendo esse post para encontrar suas respostas.

O que é e como calcular o custo efetivo total?

Antes de saber exatamente o que é o CET e como calculá-lo, vamos pensar em um exemplo prático. Suponha que você se interessou em comprar um produto que custa R$ 1 mil e que pode ser parcelado em 10 vezes sem juros.

Tentador, não? Mas, se você está pensando em pagar 10 parcelas no valor de R$ 100, pode tirar o cavalinho da chuva… Mesmo sem cobrar juros, a loja pode incluir outras taxas que incidem sobre o valor da operação.

Se ao dividir o valor da sua compra em dez vezes, o valor de cada parcela for de R$ 105, isso significa que a loja calculou uma taxa de custo efetivo total de quase 1%.

Mas, se não há cobranças de juros, quais são as taxas contidas neste CET? É o que vamos conferir logo abaixo.

Quais taxas compõem o CET?

Muito além dos juros, o custo efetivo total pode abranger taxas administrativas da loja, tarifas para abertura de cadastro, seguros e tributos em geral, como o IOF (Imposto sobre Operação Financeira).

Ou seja, o CET cobrado pela loja no exemplo acima é a soma de todos os custos adicionais que ela terá na operação da compra do produto. E essa mesma mecânica é aplicada para calcular as taxas de empréstimos e financiamentos.

Ao solicitar um empréstimo para sua empresa, leia bem o contrato e, além dos juros, verifique o valor do CET cobrado pela instituição credora para não ser pego de surpresa. Lembre que a contabilidade para pequenos negócios é uma aliada para você não perder dinheiro.

Confira o vídeo abaixo, produzido pelo canal Gestão Essencial, para saber um pouco mais sobre como calcular o CET e quais as tarifas que podem ser embutidas nele:

Como calcular o CET?

A fórmula para calcular o custo efetivo total de uma operação financeira, regulamentada pelo Banco Central, é a seguinte:

Os leigos certamente vão se assustar com esse bicho de sete cabeças aí de cima. Mas, podem relaxar, porque há uma forma mais fácil de calcular o CET e logo falaremos dela.

Mas, para os aficionados por Matemática que vão querer fazer as contas a mão, vamos detalhar os fatores dessa fórmula:

  • FC0: Valor do crédito concedido, deduzido de possíveis despesas e tarifas pagas antecipadamente;
  • FCj: Valores cobrados pela instituição, incluindo juros, amortizações, tarifa de cadastro, além de qualquer outro encargo, tributo ou custo cobrado;
  • J: Intervalo entre a data do pagamento das quantias periódicas e o dia do desembolso inicial, expresso em dias corridos;
  • N: Prazo do contrato, também em dias corridos;
  • dj: Data do pagamento das quantias cobradas, sendo periódicos ou não (FCj);
  • d0: Data de liberação do crédito pela instituição financeira (FC0).

Para quem prefere fugir de equações, sabia que o Excel pode ser um grande aliado. Uma das funções financeiras do programa ajuda a calcular o valor das taxas de um crédito com base em pagamentos periódicos e constantes e em uma taxa de juros constante.

Para fazer esse cálculo, basta buscar a aba Fórmulas no Excel, clicar em Financeiro e logo após em Taxa e preencher os campos corretamente. A sintaxe da fórmula é:

TAXA(numero_de_periodos; pagamento_por_periodo; valor_atual; [valor_futuro; fim_ou_inicio; taxa_estimada])

Abaixo, detalhamos o que é cada um dos fatores da fórmula, lembrando que os três últimos são opcionais.

numero_de_periodos - Número de pagamentos a serem feitos.pagamento_por_periodo - Valor a ser pago por período.
valor_atual - Valor atual da anuidade.
valor_futuro - Valor futuro restante após o pagamento final.
fim_ou_inicio - Indica se os pagamentos são feitos no final (0) ou no início (1) de cada período.
taxa_estimada - Estimativa para a taxa de juros.

A importância de saber como calcular o CET

Se você ainda está confuso com as fórmulas e se perguntando porque deveria saber como calcular o custo efetivo total de uma operação, vamos partir para outro exemplo prático. Dessa vez, vamos imaginar que você quer pedir um empréstimo para expandir sua empresa.

Comparando as condições de duas fintechs de capital giro para um empréstimo de R$ 5 mil para ser pago em 12 vezes, você descobre que a empresa X cobra 2% de juros e a empresa Y cobra 2,5%. No entanto, as parcelas da X sào de R$ 550, enquanto as da Y são de R$ 520.

Ou seja, mesmo com uma taxa de juros maior, a empresa Y oferece melhores condições de pagamento. Isso acontece porque o CET da empresa Y é menor que o da empresa X.

Usando a fórmula do Excel que mostramos acima, chegamos à conclusão que o custo efetivo total de um empréstimo com a empresa X, contando com os juros de 2%, é de 4,5%. Já o CET de um empréstimo com a empresa Y é de 3,6%, mesmo com os juros de 2,5%

Por isso, sempre que pedir um empréstimo ou financiamento, sua atenção deve estar voltada mais para o CET do que para as taxas de juros ou o valor das parcelas. É o CET que determina exatamente quanto você vai pagar por determinada operação.

E então? Gostou de saber como calcular o custo efetivo total de uma operação? Esse post é mais uma prova de porque é importante implementar ações de educação financeira para empresas.

Afinal, se você conseguir uma aprovação de crédito, é fundamental saber o que fazer com um empréstimo e o que não fazer. E lembre que a GYRA+ ajuda você a conseguir um empréstimo online em até 72 horas.

Acesse o site da GYRA+ e nossa equipe trabalhará para aprovar um empréstimo para seu negócio.

Não se esqueça que, se você for usuário de plataformas como Mercado Livre, Mercado Pago, SkyHub (B2W), Pagseguro, PayPal, Pagar.me, Conta Azul, Rede, Getnet, Cielo, Stone, Bling! ou Wirecard, suas chances de conseguir o empréstimo são maiores. Saiba mais sobre as integrações da GYRA+.

GYRA+

Somos uma fintech de crédito que chegou para simplificar a vida do empresário digital. Empréstimo rápido, simples e inteligente.

Great! You've successfully subscribed.
Great! Next, complete checkout for full access.
Welcome back! You've successfully signed in.
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.